100 melhores álbuns internacionais de 2015

adele

2015 foi um ano muito difícil, mas música ajuda a aliviar tudo, aqui são os meus 100 álbuns preferidos desse amargo 2015.

 

1. Adele – 25
2. Florence + The Machine – How Big, How Blue, How Beautiful
3. Grimes – Art Angels
4. Halsey – BADLANDS
5. Björk – Vulnicura
6. Major Lazer – Peace Is The Mission
7. Kendrick Lamar – To Pimp a Butterfly
8. CHVRCHES – Every Open Eye
9. Melanie Martinez – Cry Baby
10. Sleater Kinney – No Cities To Love
11. Marina and the Diamonds – Froot
12. Madonna – Rebel Heart
13. Drake – If You’re Reading This It’s Too Late
14. Janet Jackson – Unbreakable
15. Skrillex and Diplo – Skrillex and Diplo Present Jack Ü
16. Drake & Future – What a Time To Be Alive
17. The Weeknd – Beauty Behind the Madness
18. Years & Years – Communion
19. Lianne La Havas – Blood
20. Alessia Cara – Know It All

21. James Bay – Chaos and the Calm
22. Ciara – Jackie
23. Alabama Shakes – Sound & Color
24. Tove Styrke – Kiddo
25. Justin Bieber – Purpose
26. Courtney Barnett – Sometimes I Sit and Think, and Sometimes I Just Sit
27. Sara Bareilles – What’s Inside? Songs from Waitress
28. Troye Sivan – Blue Neighbourhood
29. Selena Gomez – Revival
30. Brandon Flowers – The Desired Effect
31. Miley Cyrus – Мiley Cyrus And Her Dead Petz
32. One Direction – Mad In The A.M.
33. Sam Hunt – The 9th
34. LOLAWOLF – Calm Down
35. Bleachers – Strange Desire
36. Carly Rae Jepsen – EMOTION
37. Of Monsters and Men – Beneath The Skin
38. Metric – Pagans in Vegas
39. Demi Lovato – Confident
40. Kwabs – Love + War

41. Tori Kelly – Unbreakable Smile
42. Little Mix – Get Weird
43. Pentatonix – Pentatonix (Deluxe Version) [2015]
44. Adam Lambert – The Original High
45. Betty Who – Take Me When You Go
46. Beach House – Depression Cherry
47. Zedd – True Colors
48. New Order – Music Complete
49. Hurts – Surrender
50. MIKA – No Place In Heaven
51. Katharine McPhee – Hysteria
52. Giorgio Moroder – Déjà Vu
53. MS MR – How Does It Feel
54. Say Lou Lou – Lucid Dreaming
55. Tyler, the Creator – Cherry Bomb
56. City and Colour – If I Should Go Before You
57. RHODES – Wishes
58. Muse – Drones
59. Christopher Owens – Chrissybaby Forever
60. Hot Chip – Why Make Sense?

61. Fleur East – Love, Sax and Flashbacks
62. GEM – Kill the One You Love
63. NERVO – Collateral
64. Animal Collective – Merriweather Post Pavillion
65. twenty one pilots – Blurryface
66. Róisín Murphy – Hairless Toys
67. Purity Ring – Another Eternity
68. Hillary Duff – Breathe In. Breathe Out.
69. Carrie Underwood – Storyteller
70. Mark Ronson – Uptown Special
71. Alaska Thunderfuck – Anus
72. SoKo – My Dreams Dictate My Reality
73. Rudimental – We the Generation
74. Nicki Jonas – X2
75. The Kooks – Hello, What’s Your Nome?
76. George Ezra – Wanted On Voyage
77. Olly Murs – Never Been Better
78. Kelly Clarkson – Piece by Piece
79. Imagine Dragons – Smoke + Mirrors
80. Leona Lewis – I Am

81. The Bird and The Bee – Calling All Lovers
82. A$AP Rocky – At.Long.Last.A$ap
83. Ella Eyre – Feline
84. Joss Stone – Water for Your Soul
85. Beast Coast – California Nights
86. Gabrielle Aplin – Light Up The Dark
87. Jess Glynne – I Cry When I Laugh
88. Fifth Harmony – Reflection
89. Vanessa Carlton – Liberman
90. Passion Pit – Kindred
91. Cage The Elephant – Thank You Happy Birthday
92. Ellie Goulding – Delirium
93. Peaches – Rub
94. The Vamps – Wake Up
95. Meek Mill – Dreams Worth More Than Money
96. Laura Marling – Short Movie
97. Ben Haenow – Ben Haenow
98. Alesso – Forever
99. Ivy Levan – No Good
100. Avicii – Stories

PIOR ÁLBUM DE 2015:
Lana Del Rey – Honeymoon

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Os 40 Melhores Álbuns de 2014

01. Sam Smith – In The Lonely Hour
02. Ed Sheeran – X
03. Tove Lo – Queen Of The Clouds
04. FKA Twigs – LP1
05. Sia – 1000 Forms of Fear
06. Jessie Ware – Tough Love
07. Lykke Li – I Never Learn
08. Banks – Goddess
09. Broods – Evergreen
10. Kiesza – Sound of Woman
11. Criolo – Convoque Seu Buda
12. Ariana Grande – My Everything
13. Taylor Swift – 1989
14. Kylie Minogue – Kiss Me Once
15. Warpaint – Warpaint
16. Jenny Lewis – The Voyager
17. Azealia Banks – Broke With Expensive Taste
18. Pitty – Setevidas
19. tUnE-yArDs – Nikki Nack
20. Charli XCX – Sucker
21. Die Antwoord – Donker Mag
22. Lilly Allen – Sheezus
23. MAGIC! – Don’t Kill The Magic
24. Silva – Vista Pro Mar
25. Mary Lambert – Heart On My Sleeve
26. Mø – No Mythologies To Follow
27. Sophie Ellis-Bextor – Wanderlust
28. Ella Henderson – Chapter One
29. Selena Gomez – For You
30. Pharrell Williams – G I R L
31. Tinashe – Aquarius
32. Shakira – Shakira
33. You+Me – rose ave.
34. One Direction – FOUR
35. Tiê – Esmeraldas
36. Lana Del Rey – Ultraviolence
37. Sharon Van Etten – Are We There
38. Royal Blood – Royal Blood
39. Sophie Ellis-Bextor – Wanderlust
40. Katy B – Little Red

PANews BT_P-1d0809cf-3c24-4fb0-ab52-4db1349e45a9_I1

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

As 100 Melhores Músicas de 2014

Minha lista das 100 melhores músicas de 2014:

01. Michael Jackson – Love Never Felt So Good (feat. Justin Timberlake)
02. Sia – Chandelier
03. Mark Ronson – Uptown Funk (feat. Bruno Mars)
04. Sam Smith – I’m Not The Only One
05. Ed Sheeran – Sing
06. Jessie Ware – Say You Love Me
07. Tove Lo – Habits (Stay High)
08. Grimes – Go (feat. Blood Diamonds)
09. Lykke Li – No Rest For The Wicked
10. Röyksopp & Robyn – Do It Again
grimes-1
11. Kiesza – Hideaway
12. Charli XCX – Boom Clap
13. FKA twigs – Two Weeks
14. Adam Levine – Lost Stars
15. Brooke Candy – Opulence
16. Lana Del Rey – West Coast
17. Ed Sheeran – Don’t
18. Taylor Swift – Shake It Off
19. Banda do Mar – Mais Ninguém
20. Lorde – Yellow Flicker Beat
21. Criolo – Convoque Seu Buda
22. Kylie Minogue – Sexy Love
23. MAGIC! – Rude
24. Tove Lo – Love Ballad
25. Keira Knightley – Coming Up Roses
26. Iggy Azealia – Fancy (feat. Charli XCX)
27. Taylor Swift – Blank Space
28. Sia – Eye Of The Needle
29. Beyoncé – Flawless (REMIX) (feat. Nicki Minaj)
30. Banks – Beggin For Thread
31. Shakira – Empire
32. Iggy Azealia – Black Widow (feat. Rita Ora)
33. Beyoncé – 7/11
34. Angel Haze – Battle Cry (feat. Sia)
35. Mø – Pilgrim
36. Azealia Banks – Chasing Time
37. Austin Mahone – The Secret
38. Ariana Grande – Be My Baby (feat. Cashmere Cat)
39. Selena Gomez – The Heart Wants What It Wants
40. Ella Henderson – Ghost
41. Banda do Mar – Dia Clarear
sam
42. Brody Dalle – Don’t Mess With Me
43. HAIM – My Song 5 (feat. A$AP Ferg)
44. OneRepublic – Counting Stars
45. Major Lazer – All My Love (feat. Ariana Grande)
46. Tinashe – Aquarius
47. Broods – Bridges
48. Ariana Grande – Best Mistake (feat. Big Sean)
49. Shakira – Dare (la la)
50. Foxes – Let Go For Tonight
51. Charli XCX – London Queen
52. Kiesza – No Enemiesz
53. Adam Levine – A Higher Place
54. Meghan Trainor – All About That Bass
55. Charli XCX – Break The Rules
56. Ed Sheeran – Thinking Out Loud
57. Nicki Minaj – I Lied
58. Naughty Boy – La La La (feat. Sam Smith)
fka twigs
59. Alex & Sierra – Little Do You Know
60. James Blunt – Satellites
61. David Guetta – Dangerous (feat. Sam Martin)
62. Lights – Up We Go
63. Lily Allen – URL Badman
64. Amy Lee – Push The Button
65. iamamiwhoami – Hunting For Pearls
66. Bastille – Bite Down (feat. HAIM)
67. Sam Smith – Stay With Me
68. Adam Levine – No One Else Like You
69. One Direction – Steal My Girl
70. Paloma Faith – Only Love Can Hurt Like This
71. Pitty – Setevidas
72. Shakira – Can’t Remember to Forget You (feat. Rihanna)
73. You+Me – Break the Cycle
74. Alesso – Heroes (we could be) [feat. Tove Lo]
75. Calvin Harris – Outside (feat. Ellie Goulding)
76. Lily Allen – L8CMMR
77. Kyla La Grange – Cut Your Teeth
78. Years & Years – Desire
79. Die Antwoord – Ugly Boy
Tove Lo
80. Mikky Ekko – Smile
81. Tulipa Ruiz – Megalomania
82. Lily Allen – Sheezus
83. 5 Seconds Of Summer – She Looks So Perfect
84. Angus & Julia Stone – My World For It
85. Christopher Owens – Nobody’s Business
86. Imogen Heap – You Know Where to Find Me
87. Young the Giant – It’s About Time
88. Jenny Lewis – Just One of the Guys
89. Tove Lo – Out of Mind
90. Katy B – Crying for No Reason
91. Lana Del Rey – Shades Of Cool
92. Sam Smith – Money On My Mind
93. Zedd – Find You (feat. Matthew Koma & Miriam Bryant – Find You)
94. Oh Land – Favor Friends
95. Pharrell Williams – Happy
96. Yelle – Complètement fou
97. The Pretty Reckless – Going Hell
98. Iamamiwhoami – blue blue
99. Banda do Mar – Hey Nana
100. Ludmilla – Sem Querer
edsheeran

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Torcidas e apostas para o Oscar 2014

Não opinei sobre todas as categorias, não entendo nada de montagem, edição e mixagem de som, embora ache que Gravidade merece levar todas as categorias técnicas, não ouso opinar em docs e curtas, não tive a oportunidade de ver nenhum esse ano e só vi dois filmes estrangeiros que não me arrancaram suspiro. Gostaria de dizer que quero Trapaça como o azarado da vez.

Imagem

MELHOR FILME: Torço por Ela e pelo azarado O Lobo de Wall Street mas o favorito 12 Anos de Escravidão deve vencer.

DIREÇÃO: Torço para o Alfonso Cuarón por Gravidade e também deve vencer o Alfonso Cuarón mas acho que o Steve McQueen por 12 anos de escravidão tem grandes chances.

ATOR: Eu torceria para o Bruce Dern em Nebraska mas sei que as chances dele são escassas, então torço pelo Matthew McConaughey em Clube de Compras Dallas e ele deve vencer.

ATRIZ: Torço e aposto que a Cate Blanchett em Blue Jasmine leva, esse ano ela tombou todas, nenhuma das indicadas se nivela. Mas tenho um comentário a fazer, uma pena que a Cate, que sempre interpretou personagens femininas fortes e incríveis, venha a ser oscarizada por interpretar uma personagem mesquinha, frustrada, tola e fruto de misoginia do roteiro de Blue Jasmine. Enfim, não tira o mérito dela, melhor atuação de sua carreira.

ATOR COADJUVANTE: Eu torço pelo Jared Leto em Clube de Compras Dallas, embora tenha gostado bastante do Fassbender em 12 anos de escravidão. Acho que se o Leto não levar, será do Fassbender.

ATRIZ COADJUVANTE: Torço pela Lupita Nyong’o e acredito que ela leve, embora tenha gostado muito da surpresa que foi a June Squibb.

ROTEIRO ORIGINAL: Torço por Ela de Spike Jonze e ficarei muito puta se derem o prêmio pra Trapaça como tenho previsto.

ROTEIRO ADAPTADO: Não posso deixar de demonstrar o meu amor por Antes da Meia-Noite do Richard Linklater com os lindos Julie Delpy e Ethan Hawke, torço por eles mesmo sabendo que não levam, mas deve levar 12 anos de escravidão.

FOTOGRAFIA: Achei que 12 anos de escravidão concorreria, não vi “O Grande Mestre” mas acredito que Emmanuel Lubezki – Gravidade leva, também torço por Gravidade, apesar de Inside Llewyn Davis ter uma fotografia linda.

DESIGN DE PRODUÇÃO: Cairia muito bem o prêmio para Ela, aposto e torço por K.K. Barrett e Gene Serdena – Ela, achei a decoração do set perfeita. Também suspeito de O Grande Gatsby.

EFEITOS VISUAIS: Entre os indicados eu só vi Gravidade, então torço e aposto em Tim Webber, Chris Lawrence, Dave Shirk e Neil Corbould – Gravidade, merece todos os prêmios técnicos.

FIGURINO: Torço e aposto que leva Catherine Martin – O Grande Gatsby, acho que Ela deveria estar concorrendo nessa categoria.

MAQUIAGEM E PENTEADO: Torço e aposto em Adruitha Lee e Robin Mathews – Clube de Compras Dallas

CANÇÃO ORIGINAL: Quem tem dúvidas? LET IT GOOOO, LET IT GOOOOOO

ANIMAÇÃO: Mais um ano fraco para animações, mas torço e aposto em Frozen, apesar de não ser das melhores, foi um marco para a Disney. Eu também gostaria de ver o Miyazaki levar como prêmio de despedida T_T

TRILHA SONORA: Torço e aposto pela trilha do Steve Price em Gravidade, mas também adorei a de Ela.

Publicado em Uncategorized | Marcado com | Deixe um comentário

Philomena – Philomena, Stephen Frears [2014]

Imagem

Mais um filme baseado em fatos reais do jeito que o Oscar gosta, mas esse me surpreendeu bastante, achava que iria me deparar com o típico dramalhão feito para a premiação, e é bem mais do que isso.

Philomena é uma adorável senhora com um passado amargo, vivendo na Irlanda católica quando jovem, ela engravidou fora do casamento e foi colocada em um convento para pagar pelo seu pecado. Trabalhando como escrava, as freiras só permitem que Philomena veja o pequeno Antony por 01 hora, essa rotina segue até o dia em que as freiras vendem a criança para milionários. Tá aí, mais uma atrocidade cometida pela ‘sagrada’ Igreja Católica na qual eu desconhecia.

Aos 70 anos de idade, sem saber o paradeiro do filho, Philomena pede ajuda de um jornalista para descobrir onde encontrá-lo. O jornalista que recentemente havia sido demitido da BBC e encontra-se perdido trabalhando em um noticiário medíocre, topa investir em uma história pessoal para mudar o rumo de sua carreira.

A trajetória de Martin e Philomena segue com diálogos sensacionais e uma química muito gostosa, indo do cômico ao dramático de forma sutil. Sou o Martin da história, ao mesmo tempo que ele, eu fui alimentando um enorme respeito por Philomena, e também não conseguia se conformar em como Philomena não guardava mágoas quantos às terríveis e grotescas maldades a que foi cometida. Muito pouco perdoaria como ela perdoou as freiras maléficas. A lição de tolerância é parecida com a de “Clube de Compras Dallas”. Junto com Martin levei o “tapa na cara” sincero e autêntico em que o filme proporciona ao manipular o espectador, fui bastante cativada por Judi Dench e cai direitinho na pegadinha. Excelente entretenimento.

Publicado em Uncategorized | Marcado com | Deixe um comentário

Capitão Phillips – Captain Phillips, Paul Greengrass [2013]

Imagem

Não morri de amores por Capitão Philips, mas é outro filme necessário. Diferente de “12 anos de escravidão”, esse nos faz ficar do lado dos brancos. A câmera sempre em movimento para transmitir o nervosismo do Tom Hanks nos coloca na pele de Philips. Bem direto, o filme se preocupa essencialmente em retratar a realidade.

Baseado em fatos reais, o supracitado capitão é um homem sério e experiente que de repente se encontra em uma situação na qual não consegue lidar, é sequestrado por piratas da Somália em meio ao oceano índico. Assim, o espectador consegue se identificar muito bem com o homem comum da trama, principalmente quando trás para a realidade cotidiana de violência em que vive.

A atuação de Tom Hanks é um misto de segurança e desespero, e mesmo como um já especulado ator, ele se mostra surpreendente, fazendo com que sintamos empatia por Phillips principalmente quando ele impensavelmente se descontrola, depois de muito tempo no bode salva-vidas. Aí que o chefe dos piratas somalis trava uma espécie de duelo com o capturado, e o ator Barkhad Abdi é a grande surpresa, demonstrando muita competência em tornar a vida do capitão e a nossa um inferno.

Observa-se o enorme contraste e diferença abismal entre os Hanks e Abdi, sendo o primeiro a personificação dos poderosos países desenvolvidos enquanto o segundo representa o terceiro mundo.

Publicado em Uncategorized | Marcado com | Deixe um comentário

Nebraska – Nebraska, Alexander Payne [2013]

Imagem

Que road movie lindo! Alexander Payne responsável pelo ótimo “Os Descendentes”, é dono de sensibilizar personagens com muito brilho. Drama familiar é meu ponto fraco, eu me identifico muito com a proposta desse filme.

Adorei a atuação do Bruce Dern, ator curto e grosso, seu desempenho aqui é melhor do que qualquer Matthew ou DiCaprio esforçadinho, interpretando o idoso Woody, ranzinza, monótono, alcoolista, decrépito e cheio de manhas, faz seu filho David, interpretado por Will Forte, rodar o estado do Nebraska na busca de seu fantasioso prêmio de 1 milhão de dólares.

As pessoas ignoram filmes como este, pela produção simplória e o estilo filmado em preto e branco, julgam entediantes, eu já me enganei bastante, esse filme não só emociona como também diverte, apesar de toda a melancolia eu dei muita gargalhada, em especial com a atriz June Squibb, que eu desconhecia, interpretando a esposa sem paciência de Woody.

A história é uma lição pra gente que vive esse choque de geração com nossos pais, nos faz perceber que certas vontades de nossos familiares e amigos são mais do que achamos ser, os desejos e anseios do outro, por mais fúteis que pareçam ser devem ser levados a sério, uma vez ou outra acabamos cedendo a esses tipos de caprichos de nossos entes queridos. 

Publicado em Uncategorized | Marcado com | Deixe um comentário

Ela – Her, Spike Jonke [2013]

Imagem

Spike Jonze desempenhou um ótimo trabalho em levar às telas uma temática tão atual e ainda pouco retratada, com um roteiro sensível e original que acredito ser este o filme mais marcante de 2013.

Theodore (Joaquin Phoenix) é uma sujeito solitário, triste e decadente socialmente, vivendo em uma Los Angeles do futuro, ele compra um sistema operacional (voz deliciosa da Scarlett Johansson) que se comunica com ele oralmente, é aí que descobre-se apaixonado pela voz por trás do programa e dá-se início um relacionamento amoroso com todos os encargos que uma relação ‘normal’ pode ter: flerte, sexo, brigas, ciúme, traição.

Não se trata de um filme sobre tecnologia, o desempenho do sistema operacional no filme é até meio irreal, por se autodesenvolver de uma forma assustadora. É na verdade um filme que se preocupa em mostrar as novas sensibilidades humanas advindas da pós-modernidade, o individualismo, a solidão, a ansiedade, os relacionamentos incomuns e pitorescos que já fazem parte de uma cultura.

O amor humano pelo software, retratado no filme, muito me lembra os relacionamentos a distância, as pessoas estão cercadas de gente mas completamente sozinhas, então encontram uma forma de satisfazer seus complexos em uma pessoa que mora longe. zzzzz Parece ridículo mas é mais comum do que você imagina, é a necessidade do ser humano contemporâneo de provar para o mundo que não é tão solitário e enganar a si mesmo.

O amor entre Samantha (Johansson) e Theodore (Phoenix) me cativou e realmente me fez levar a sério, acho que a Johansson ajudou kkkk como não se apaixonar? Samantha é inteligente, bem humorada, compreensiva, sexy, articulada, vindo como uma cura para a fase da vida em que Theodore se encontra, tentando esquecer sua ex-esposa. A direção de arte linda e o figurino hipster combinaram tão bem com a melancolia do filme, o brilho no olhar do Joaquin fez todo o sentido, ele não foi indicado a melhor ator, como eu esperava que fosse, uma pena, se a Sandra foi indicada por Gravidade, ele merecia até mais, e está um fofo, que ator lindo vem amadurecendo esse Phoenix.

Entretanto, trazendo essa ideia para o mundo real é triste e ridículo pensar que isso já está acontecendo, é o retrato da decadência da sociedade contemporânea, os rolos a distância são uma palha do que está por vir. Interessante como Theodoro reage ao descobrir que Samantha não era o que realmente aparentava ser, como na verdade ele não a conhecia de verdade, me fez lembrar muitos colegas que namoravam à distância aos 13, 14, 15 anos de idade e depois de levar como puderam, acabaram bastante decepcionados quando passaram a namorar pessoalmente. Também me fez lembrar que o namoro de shopping, as rodinhas de happy hour (mesmo regadas a smartphones incansáveis), a sala de aula que não dispensa a relação aluno-professor, a reunião multiprofissional, o olho no olho, ou seja, os relacionamentos vividos na dor e na delícia do dia-a-dia ainda são os mais consistentes em um mundo cada dia mais individual.

Publicado em Uncategorized | Marcado com | Deixe um comentário

Gravidade – Gravity, Alfonso Cuarón [2014]

gravity-movie-review-sandra-bullock-suit-2
Quem não viu Gravidade nos cinemas em 3D perdeu, eu sinto muito. Se já saí perdendo por não ter a oportunidade de vê-lo em IMAX, imagina pra quem resolveu assistir desrespeitosamente pela tela de um smartphone. É meio a cara do Oscar até demais, por isso acho que poderá dar uma azarada, pois a tendência tem variado e esse ano pode ser diferente, trás todos os elementos que a academia adora: inovações tecnológicas, retorno financeiro, história de superação, elementos dramáticos cheios de tensão e apelo claustrofóbico.

Todas as características não tornaram a ideia incessante, mesmo que em “As Aventuras de Pi” tão aclamado no ano passado, a história tenha sido melhor contada, e nem todo o estilo “vendido” do filme atrapalhou os bons comentários da crítica. Eu achei que seria minoria por realmente ter gostado, pois é um filme muito difícil, principalmente para quem não viu em 3D, a trilha sonora de Steve Price em poucos momentos é algo que atrapalha espectadores sem a sensibilidade para perceber a intenção de colocar a respiração de Bullock em meio a inércia ecoante.

Projeto pessoal do diretor Alfonso Cuáron, o filme, um dos mais esperados do ano, certamente é o maior concorrente das categorias técnicas no Oscar. Eu torço para que leve melhor direção, montagem, design de produção e efeitos visuais, pois para mim aquela câmera atravessando o capacete da Sandra é fascinante, as partes que me lembram “2001 – Uma Odisseia no Espaço” onde a câmera ficava posicionada pra captar o cenário circuncêntrico da nave foi muito legal de se ver.

A Sandra Bullock concorrendo a melhor atriz foi exagero, não vi nada que justificasse, talvez o fato de que ela levou o filme todo nas costas e se saiu bem para o padrão Sandra Bullock (que é atriz de comédias), já o George Clooney fazendo piadinha me causava irritação a todo momento, não é a toa que Cuáron queria o Robert Downey Jr. no papel, é o tipo de humor que eu detesto.

O filme é isso, bem simples, não consegui me identificar com a história da personagem principal mas acho que muitas pessoas irão, há a subjetividade no filme, de fato, mas é um filme técnico e com méritos técnicos, ponto para Alfonso Cuarón.

Publicado em Uncategorized | Marcado com | Deixe um comentário

Clube de Compras Dallas – Dallas Buyers Club, Jean-Marc Vallée [2013]

Imagem

Esse é o filme mais bem atuado entre os indicados à categoria melhor filme ao Oscar e passa uma mensagem valorosa para os dias de hoje, Jean-Marc Vallée é o grande responsável por um dos filmes que mais amo na vida, “C.R.A.Z.Y. – Loucos de Amor”, e fez um trabalho incrível também nessa película.

A história parece bem simples, mas se torna grandiosa à medida que o personagem de Matthew McConaughey, um “cabra da peste” texano, se desenvolve como ser humano ao descobrir ter AIDS no ápice dos 80s (época em que o preconceito sobre a doença incidia em homofobia crônica). Assim, ele começa a se relacionar com uma trans que se encontra na mesma situação, interpretada por Jared Leto, e juntos começam a contrabandear coquetéis ilegais nos USA para pessoas com o vírus. A trama é bastante original e envolve toda uma faceta da indústria farmacêutica sacana e tapão na cara da intolerância de gênero.

Infelizmente não vemos muitas trans interpretando personagens trans, geralmente são héteros com uma performance meio alegórica, mas Leto assumiu a responsabilidade com muita dedicação para com “Rayon”, e a personagem em nenhum momento soou irreal, tão digno como a atriz Larvene Cox em Orange is the new Black, e a Daniela Sea em The L Word. Percebo que o Leto se dedica a beça em muitos de seus filmes, os críticos chatos não costumam levar a sério atores-cantores/cantores-atores, puro preconceito, Jared Leto sempre se mostrou muito competente nas telas.

Já Matthew McConaughey era um ator que eu não gostava muito, pois sempre esteve na frente de comédias românticas “água sem açúcar”, mas em “Obsessão” ele me impressionou completamente com uma agradável surpresa e em “Clube de Compras Dallas” não foi diferente, basicamente repetiu em dose dupla, achei que ele não passasse de um canastrão, mas começo a perceber que ele tem muita aptidão para personagens viscerais, e ainda tá bombando na série “True Detective” da HBO, Matthew é mesmo a JLaw de 2014, tudo indica que ele leve o Oscar, como já agarrou o Globo de Ouro da vez.

Não sei quem está melhor no filme se Matthew McConaughey ou Jared Leto, ambas as transformações estão monstruosas, eles deram a alma e fizeram acontecer nesse filme. Como eu sei que não darão o prêmio para o Bruce Dern, o Matthew pode levar “melhor ator” com prioridade. Já Leto merece melhor ator e melhor atriz coadjuvante kkkkk.

Publicado em Uncategorized | Marcado com | Deixe um comentário